Alongamento em doenças Congênitas

 
 

Podemos executar os alongamentos ósseos em discrepâncias congênitas ou adquiridas. As congênitas geralmente são acompanhadas de grandes deformidades que comprometem a função. Quando a discrepância é num só membro, o objetivo é igualar o comprimento.  Nosso principal foco esta em melhorar a qualidade de vida do paciente permitindo um caminhar mais confortável.

Na Acondroplasia,  (Figura 1), por exemplo apresentam baixa estatura associada  a deformidades dos membros. O tórax e a cabeça encontram-se de dimensões normais, entretanto, o membros são curtos e deformados.  Os alongamentos e as correções são grandes sendo feitos em varias etapas. Deve-se interromper o alongamento, se os movimentos articulares começarem a diminuir.














































Fig. 1 Paciente portadora de Acondroplasia. A) Pré-operatório . B) Radiografia durante o alongamento. C) Comparativo no início e fim do alongamento das pernas.




 

Corrigir primeiro e alongar o quanto for seguro

O ALONGAMENTO MELHORA A QUALIDADE DE VIDA


Nanismo Acondroplásico